segunda-feira, 11 de agosto de 2008

A Pirâmide de Maslow e a Teoria de Herzberg

Dando continuidade a um assunto constantemente abordado nas corporações - "Motivação" -falarei hoje sobre a pirâmide de Maslow, postagem iniciada em 16/12/2007, relacionada com a Teoria dos dois fatores de Herzberg.
Frederick Herzberg foi o autor da "Teoria dos Dois Fatores" que aborda a situação de motivação e satisfação das pessoas. Nesta teoria Herzberg verificou e evidenciou através de muitos estudos práticos a presença de que dois fatores distintos devem ser considerados na satisfação do cargo; são eles: os Fatores Higiênicos e os Motivacionais.

Fatores higiênicos: referem-se às condições que rodeiam o empregado enquanto trabalha, englobado as condições físicas e ambientais de trabalho. Constituem os fatores tradicionalmente utilizados pelas organizações para obter motivação dos empregados. O que para Herzberg é um fator bastante limitado em sua capacidade de influenciar o comportamento dos empregados. A expressão “higiene” reflete seu caráter preventivo, profilático e necessário. De acordo com as pesquisas de Herzberg, quando os fatores higiênicos são ótimos, eles apenas evitam insatisfação. E quando precários eles provocam a insatisfação dos empregados. Relacionando com a pirâmide de Maslow temos a base da pirâmide como os fatores de higiene. São as necessidades fisiológicas, de segurança e sociais.

Fatores motivadores: referem-se ao conteúdo do cargo, às tarefas e aos deveres relacionados com o cargo em si. São os fatores motivacionais que produzem efeito duradouro à satisfação e aumento de produtividade em níveis de excelência. Para Herzberg, o termo motivação envolve sentimento de realização, de crescimento e de reconhecimento profissional. É manifestado por meio do exercício das tarefas e atividades que oferecem suficiente desafio e significado ao trabalhador. Os fatores motivacionais estão sob controle do individuo, pois estão relacionados com aquilo que faz e desempenha. O brasileiro tem dificuldade com a auto-realização representada pelo topo da pirâmide. Ele condiciona ao outro a sua felicidade. As necessidades sociais, estima e auto-realização representam os fatores motivacionais.


Baseada nessa teoria gostaria de promover uma discussão sobre como as empresas lidam com os fatores motivacionais e higiênicos versus a redução de custo, redução de custo versus motivação da equipe!

7 comentários:

Totvs Paraná Central - Maringá disse...

Olá Isadora, gostaria de parabenizá-la pelo qualidade do conteúdo e das ilustrações (imagens) dos blogs postados. São muito bons... dá mesmo vontade de ler.

Patrícia
Coordenadora de Projetos Totvs PR Central
patriciainez@gmail.com

Luiz Geraldo Crespo Arruda disse...

Ola Isadora, bom dia

Estive vendo seu blog, a materia sobre a pirâmide de maslow.

Você propos uma discussão sobre os fatores motivacionais e higiênicos versus reduação de custos.

Eu ministro um curso que se chama "Gestão e Engenharia do Valor - Um caminho criativo para a sustentabilidade", o qual ocorrerá nos proximos dias 23 e 24 de junho. Caso interesse entre em contato com o Sinduscon-MG.

Entretanto, sobre a discussão opino:

De acordo com a equação do
Valor = Desempenho / Consumo, podemos entender que os fatores motivacionais e higiênicos são quesitos de Desempenho. Ja os de redução de custos é um quesito de consumo.
Para melhorar o Valor deve portanto obter o maior desempenho e o menor consumo, para uma dada necessidade. Entretanto sabemos que temos muitas necessidades. Desta forma, devemos ter as mesmas identificadas e bem enunciadas, e a partir desta lista, ponderarmos a fim de alcançar a priorização e/ou nivel de importância relativo entre as necessidades.
Identificada a necessidade principal e as demais hierarquizadas, devemos identificar os consumos que cada uma está custando. Neste momento tera a chamada analise do valor.

Valor da necessidade =
%Desempenho/% Consumo

Obs. Este valor é relativo em relação ao todo!

Bom, fazendo as contas irá perceber que ha necessidades com indice de valor inferior a 1. Neste caso o custo esta maior que o beneficio. Caso isto ocorra para necessidades de elevado grau de importância relativo tera problemas sistêmicos.

O que acha?

Abraço
Luiz Geraldo C Arruda
ELEGE Engenharia do Valor e Sustentabilidade

Marcos Menezes disse...

Olá Isadora.
Faço faculdade de gestão de Recursos Humanos e estou estudando sobre a teoria de Maslow. Ao fazer uma busca sobre o tema, encontrei seu blog, por sinal muito bacana, bem organizado. Parabéns. Porém o que mais me chamou atenção foi o fato de você ter nascido em Mossoró-RN. Cidade onde eu também nasci. Saí de lá muito pequeno rumo ao Mato Grosso, hoje moro em Cuiabá-MT. Nunca mais voltei lá, aliás esse é um dos meus maiores sonhos: Conhecer meu querido Rio Grande do Norte e todo o nordeste brasileiro. Tudo de bom pra você. Teno um blog também. Em construção. Se quiser pode dar uma olhada, não chega nem aos pés do seu. rsrs Mas um dia chego lá.

Marcos Menezes
menezes_fm@hotmail.com
www.marcosmenezescuiaba.blogspot.com

andre disse...

Isadora. Não entendi... Ao invés de ter orgulho de ter tido o Lampião na vossa terra natal você cita em seu currículo, em alusão a um "mérito", ter expulsado o nobre cangaceiro (guerrilheiro) de lá?
A mentalidade de técnicos e especialistas é tudo igual: padronizada e previsível. Mesmo assim grato pela bela pirâmide de Maslow; disso vocês entendem melhor!
André - Embu/SP

Elielton Cavalheri disse...

Boa tarde, Isadora.

Achei muito interessante essa comparação, porém, são inúmeros os fatores dentro de uma empresa que estão ligados ao corte nos custos e principalmente relacionado a motivação de uma equipe, torna a tarefa um pouco mais árdua. Quando pensa-se em motivação, geralmente associa-se essa palavra há um sentimento, o que é uma visão errada, pois, motivação é um estado e analisar o tema com mais afinco veremos que por traz da motivação existe um ciclo motivacional..
A teoria de Maslow é mais uniforme, e pode ser aplicada dentro e fora do contesto da empresa.
A teoria de Herzberg está voltada para o clima organizacional, levando em conta que em seu estudo analisa o conteúdo do cargo (motivacional) e o contexto do cargo (higiênicos), deixando de analisar o individuo e suas peculiaridades. Pois cada individuo reage de forma diferente em determinada circunstância.
Como sua proposta é relacionar o estudo da motivação baseada nesses autores e fazer uma analise comparativa com o corte de custos sem desmotivar uma equipe. Acredito que a melhor forma e trabalhar a conscientização e, posteriormente, mudar alguns hábitos da empresa com relação ao desperdício. Caso esteja pensando em cortar gastos demitindo funcionários, esse é o prato cheio para desmotivar sua equipe e piorar o clima da empresa.
Enfim, estou terminando um artigo cientifico “ Motivação para o trabalho humano na empresa” nesse artigo cito varias abordagens e uma pesquisa de campo realizada em duas empresas, caso queira saber mais entre em contato.
Atenciosamente
Elielton
elieltoncavalheri@hotmail.com

juninho disse...

Sra Isadora, meu nome é Franciney, estudo na Universidade Federal de Roraima , faço Economia. estou estudando sobre a "Teoria dos Dois Fatores",para um seminario, sera que a sra poderia me ajudar esclarecer um pouco mais , sobre so assunto, uma visão diferente para que eu possa passar aos meus colegas um seminário bem coerente? Me falando um pouco mas dessa teoria.

Queria dar meus parabens pelo blog, foi indicado por minha professora.

caso tenho algo a mais sobre o asunto passe por e-mail se não for incomodo (neyf.filadelphia.rr@gmail.com) fico grato.

att

Ney

Uberti Messina disse...

Prezada Isadora!
Parabéns pelas postagens, pela qualidade de sua escrita e especialmente pelos critérios adotados na seleção das temáticas.
Agradeço a oportunidade de poder acessar a construção de seu capital intelectual e poder usufrui-lo.
Um abraço
Cordialmente

Uberti Messina

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...